desigualdade social na pandemia

Resultado da desigualdade social na Pandemia da Covid 19

A Pandemia que afetou o Brasil e o Mundo causou muitos prejuízos relacionados à saúde. Mas, a desigualdade social na Pandemia também foi um traço que ficou ainda mais evidente na sociedade.

De modo geral, o Brasil é um dos países considerados mais desigual se comparado a outros países. E a expansão da Pandemia pelas periferias, favelas e regiões interioranas do país só confirmou isso. Mas, como isso impacta a vida das pessoas? Qual o resultado da desigualdade social na Pandemia?

É exatamente sobre isso que trataremos nesse artigo. Por isso, continue sua leitura e veja como a desigualdade social afetou e continua afetando a rotina das pessoas durante a Pandemia. Confira!

Impactos da desigualdade social na Pandemia

O ano de 2020 foi marcado por muitas dificuldades em decorrência da Pandemia. Contudo, as pessoas que tiveram mais dificuldade de enfrentar a COVID-19 foram aquelas que integravam as camadas mais vulneráveis da sociedade.

O que não é difícil de compreender. Afinal, sem a vacina, as medidas necessárias para combater o Coronavírus se distanciavam cada vez mais desse público. Principalmente por se tratar de medidas mais custosas.

Manter o distanciamento, bem como adquirir produtos de higiene, usar máscara e realizar testes frequentes para Covid-19 eram medidas eficazes, mas que geravam custos. E estas despesas se transformaram em uma verdadeira barreira para o público mais carente.

Como resultado, a doença se alastrou nas regiões mais pobres do país, impactando a vida da população economicamente mais vulnerável.

Aumento do desemprego

A paralização de atividades não essenciais, somado a queda de demanda e investimentos resultou no fechamento de vários estabelecimentos comerciais. Com isso, muitas pessoas acabaram ficando sem emprego. O que gerou forte impacto negativo principalmente na renda da população mais pobre.

Além disso, com a falta de oportunidades, cresceu também o Mapa de Fome no Brasil. Por conta do desemprego, muitas familias ficaram se ter como prover sua alimentação. E essa vulnerabilidade social acabou deixando milhares de pessoas ainda mais suscetíveis aos riscos e consequências do Coronavírus.

Acesso desigual a serviços de saúde

Outro ponto que também impactou negativamente para as pessoas mais pobres durante a Pandemia foi o acesso desigual a serviços e saúde.

Unidades de atendimento sucateadas e superlotadas foram insuficientes para atender a população mais carente. Como resultado, houve um alto índice de mortes no país por conta da Pandemia. Foram mais de 500 mil mortes pela Covid-19 segundo revelam dados do Ministério da Saúde.

Medidas para amenizar a desigualdade social na Pandemia

Como meio de diminuir o índice de desigualdade social na Pandemia e impulsionar a economia no Brasil, foram adotadas algumas medidas. A adoção de programas sociais como o Auxílio Emergencial, o FGTS Emergencial entre tantos outros foi uma delas.

Além disso, houveram a instalação de várias unidades de atendimento extra visando suprir a alta demanda, em especial da população mais carente. Contudo, a falta de estruturação adequada e a inexperiência acerca dos efeitos da Covid-19 no organismo foram desafios que impactaram bastante neste cenário.

No geral, a Pandemia deixou sequelas que irão perdurar ainda por anos. Mas o que se espera para o período de pós-Pandemia é que haja parceria entre Governo e as organizações privadas ou da sociedade civil para fortalecer as politica de saúde, economia e emprego e, com isso, diminuir as desigualdades sociais, bem como as consequências da Pandemia para os anos seguintes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: