Segundo especialistas, o transplante renal é o transplante mais bem sucedido! Saiba o porquê!

Segundo especialistas, o transplante renal é o transplante mais bem sucedido! Saiba o porquê!

Mesmo com as dificuldades impostas pela Pandemia na saúde, o transplante renal continua sendo o transplante mais bem sucedido.

Com taxa universal de sucesso de 90%, o transplante de rins vem devolvendo cada vez mais qualidade de vida aos transplantados. Continue lendo esse post para entender o motivo do sucesso desse tipo de transplante no Brasil e no mundo!

Por que o transplante renal é um dos procedimentos mais bem sucedidos?

transplante renal

O sucesso universal do transplante renal se deve a uma série de fatores. Entre os principais, estão:

·         Medicamentos eficazes

De início, alguns distúrbios representavam um empecilho para a realização do transplante dos rins. No entanto, atualmente já é possível realizar o processo nestes casos por meio de medicamentos específicos. No organismo, esses medicamentos controlam os distúrbios, impedindo assim que o sistema do receptor rejeite o transplante dos rins.

·         Mais qualidade de vida

Segundo os dados, após um ano do transplante, cerca de 95% dos receptores continuam vivos. Já a porcentagem de rins funcionando é de 95% para doadores vivos e de 90% para doadores mortos. Além disso, em média os rins doados funcionam em média 15 a 30 anos. Com isso, as pessoas com transplante renal bem sucedido podem levar uma rotina normalmente.

·         Órgãos saudáveis

Mais da metade dos transplantes de rins é feito com órgãos de doadores mortos, mas que eram saudáveis. Além disso, cerca de apenas um terço desses rins estão danificados, mas são utilizados devido à alta demanda. Já o restante dos rins advém de doadores vivos. Como a porcentagem de rins danificados é baixa, o sucesso do transplante de rins tende a ser alto.

·         Retirada segura

No transplante renal, os rins são retirados do doador vivo ou morto com o uso de equipamentos finos e específicos, como uma câmera em vídeo. Além disso, geralmente as incisões feitas são minúsculas. Juntos, os equipamentos específicos e todo o processo de retirada dos rins, garantem que não ocorra nenhum dano aos órgãos.  

·         Procedimento rápido

Retirado os rins, os mesmos são rapidamente resfriados e transportados para o hospital. Em seguida, são transplantados para um paciente com tipo sanguíneo e tecido compatível com o doador. Com isso, o procedimento é feito com a garantia de que o organismo do receptor não irá produzir anticorpos contra os tecidos por um bom tempo.

Quem pode fazer o transplante renal?

O transplante renal é a melhor alternativa para pacientes que sofrem de insuficiência renal irreversível aguda. Isso porque, apenas o transplante renal tem a capacidade de melhorar a função dos rins em pacientes com essa condição. E, assim, oferecer a eles uma melhor qualidade de vida.

Além disso, o transplante dos rins também é uma alternativa eficaz para quem deseja se livrar das sofridas sessões de diálise.

Fora esses casos, também se indica o transplante dos rins para pessoas que possuam diabetes tipo 1. No entanto, as pessoas com doença cardíaca e câncer não podem realizar esse tipo de transplante.

Transplante renal e o risco de rejeição

Apesar de ser o mais bem sucedido, o transplante dos rins também pode apresentar risco de rejeição. No entanto, segundo os dados cerca de 3 a 5% dos rins de doadores vivos deixam de funcionar após o transplante. Já para doadores mortos, essa taxa é de 5 a 8%. Quando ocorre, a rejeição pode ser tratada com medicamentos até um novo transplante renal.

Contudo, mesmo quando comparado com os demais transplantes de órgãos, a taxa de rejeição do transplante de rins é considerada baixa. Alem disso, após a retirada dos rins rejeitados, o paciente pode voltar a dialise e aguardar o novo transplante. Inclusive, as chances de sucesso do segundo transplante são as mesmas do primeiro procedimento.

Agora você já entende o porquê do sucesso do transplante renal! Lembre-se que os problemas nos rins raramente apresentam sintomas, portanto sempre procure ajuda medica!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
%d blogueiros gostam disto: