Em quais casos é necessário fazer um transplante renal?

Os rins são órgãos que participam das funções vitais do nosso organismo. Eles devem estar funcionando de forma adequada para que todas as toxinas e substâncias indesejáveis sejam expelidas pelo corpo através do sistema urinário. Alguns problemas podem se apresentar no organismo ocasionando a insuficiência renal, que acontece a partir do mau funcionamento de um dos rins ou de ambos.

Existem tratamentos que podem ser aderidos para que se mantenha o sistema urinário funcionando de forma adequada, mas há casos em que o paciente desenvolve uma doença renal crônica que precisa de tratamentos mais intensificados.

Em casos de extrema gravidade, é sugerido ao paciente a realização do transplante renal, em que o rim com insuficiência é substituído por um rim saudável, de um doador vivo ou já falecido, cujos órgãos estejam aptos a serem utilizados.

Sinais de Insuficiência Renal

Alguns sinais de que os rins estão com dificuldades de funcionamento é a necessidade frequente de ir ao banheiro para urinar. Ainda nessa perspectiva, idas frequentes ao banheiro cuja quantidade de urina é baixa, também deve despertar certa atenção para os problemas que podem surgir nessa região do corpo.

Dores fortes e intensas nas costas, coceira e inchaços nas pernas, braços e corpo, são sinais de que há alguma coisa errada com o seu organismo. Problemas renais causam dores intensas e conforme for o seu grau de evolução, podem se tornar insuportável ao paciente.

Em seu processo inicial, há um leve desconforto nas costas, um cansaço inexplicável que o paciente sente até mesmo sem estar realizando qualquer atividade física ou esforço. Além desses sintomas, é possível observar a alteração da cor e do cheiro da urina, assim como a presença de espuma e com uma leve sensação de pressão na região abdominal.

Em que momento é aconselhado o transplante renal?

Alguns problemas são mais comuns nos rins e podem ser resolvidos com um tratamento adequado e utilização de medicações que auxiliam no processo de recuperação do paciente.

Dentre esses problemas temos, pedras e cistos nos rins, doença policística renal, hidronefrose, insuficiência renal. No entanto, algumas doenças são progressivas e o tratamento pode não funcionar como o esperado. Como possibilidade de preservar a vida desse paciente, é sugerido que seja realizado um transplante. No entanto, essa cirurgia somente é feita quando não há mais nenhum outro recurso que favoreça o restabelecimento do sistema renal.

Geralmente, a cirurgia para transplante de rins é realizada em casos crônicos, quando constatada a insuficiência dos órgãos e como alternativa para preservar a vida do paciente.

Sobre os doadores

Para aprovação do procedimento acontece uma série de exames que determinarão se o paciente estará em condição de receber o órgão transplantado.

Para que uma pessoa seja doadora de órgãos é necessário que estes estejam em boas condições funcionais. O doador de rim pode ser uma pessoa viva, onde será doado um dos rins para o paciente que necessita, ou pode ser o órgão de uma pessoa já falecida, desde que os órgãos a serem utilizados estejam em perfeito estado de conservação.

Obrigado por avaliar o texto. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
%d blogueiros gostam disto: