Saúde renal e diabetes: Qual a relação?

Os rins são órgãos que purificam o sangue, retirando dele as toxinas, que elimina através da formação da urina. Em seu estado normal, durante um dia eles purificam 180 litros de sangue por dia!

A diabetes pode causar a doença renal, que leva à falência definitiva desses órgãos. Como e por que isso pode acontecer, e o que fazer para evitar essa ocorrência?

É o que você vai ver neste texto, continue lendo.

Os tipos de diabetes

– Tipo 1: acontece porque o pâncreas deixa de produzir insulina, e assim o açúcar (glicose) vai se acumulando no sangue. Este tipo não está associado com obesidade. Neste caso, a insulina deve ser aplicada no paciente com uma seringa todos os dias.

– Tipo 2 (mellitus): o corpo ataca as células do pâncreas que produzem a insulina e para de reconhecê-la, não permitindo que ela entre nas células com o açúcar, e os dois vão se acumulando no sangue. Como, além do fator genético, este tipo está associado com obesidade, o jeito de controlar esta situação é combinar dieta equilibrada com exercícios físicos, e às vezes também terapia medicamentosa oral.

Tanto o tipo 1 como o tipo 2 podem atacar os rins, comprometendo seriamente suas funções. O acúmulo de glicose no sangue por muito tempo causa lesões nos rins. Com o tempo eles deixam de eliminar o excesso de água e sal e toxinas como o ácido úrico e a ureia, porém jogam fora proteínas como a albumina (quadro conhecido como microalbuminúria), responsável pela integridade dos vasos sanguíneos – sem ela, vasos mais finos como os dos olhos, cérebro, coração, rins e outros órgãos se rompem com mais facilidade, causando vários tipos de problemas nesses órgãos, como inchaço por acúmulo de líquidos ou impedindo seu funcionamento normal.

E isso se torna ainda mais preocupante se lembrarmos que muitos diabéticos desenvolvem também pressão alta. Como a pressão alta afeta os rins. A pressão alta rompe os vasos dos rins, deixando estes órgãos menos eficientes em filtrar o sangue.

Isso pode gerar dois comportamentos característicos do diabético: ou ele precisa urinar a toda hora, ou a frequência com que faz isso diminui – geralmente, urinar com mais frequência indica comprometimento avançado dos rins. Se ele retém constantemente urina na bexiga, pode desenvolver infecções nesse órgão.

Além disso, a concentração de urina na bexiga por muito tempo também aumenta a pressão sobre os vasos sanguíneos dos rins. Para piorar o quadro, muitos pacientes se medicam por conta própria para se livrar da dor nos rins.

Certos analgésicos e anti-inflamatórios são combatidos pelos rins por meio de febres, acompanhadas de inflamações. O comprometimento dos rins pode demorar anos para apresentar sintomas, e assim passa de uma condição aguda para uma crônica, até a falência total do órgão. Neste caso, o paciente precisará passar por sessões de hemodiálise e transplante de rim.

Prevenção – Faça exames de sangue e creatinina periodicamente, para conferir como estão as taxas de glicose e albumina no sangue. – Desenvolva uma alimentação balanceada, e pratique atividades físicas com frequência, o que evita o aparecimento de diabetes. Se você já for diabético, isso mantém controladas a taxa de glicemia no sangue e a pressão alta. – Não tomar analgésicos sem indicação médica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
%d blogueiros gostam disto: