Depressão pós-parto

A gravidez, momento tão aguardado e querido, a mulher por noves meses espera aquele que será o marco de mudança na sua vida, se prepara, se preocupa, se alegra, ou turbilhão de emoções.

E chega o dia, o bebê nasce saudável e pronto para trazer ternura e alegria a nova rotina dos pais, mas muitas vezes não é bem isso que acontece.

DEPRESSÃO PÓS PARTO, uma doença comum que afeta cerca de 10% das mulheres que deram à luz a um bebê, ela chega silenciosa e em pouco tempo causa um imenso tormento a vida da nova mãe.

Conheça agora um pouco mais sobre essa doença que de certa forma ainda é um tabu no mundo da maternidade.

 O que é a depressão pós-parto?

É importante lembrar que a depressão pós-parto não é apenas uma tristeza passageira, que algumas mulheres compartilham nas primeiras 2 semanas após o parto e que vão embora naturalmente, essa é uma condição física e emocional séria que precisa ser tratada adequadamente para não se tonar um grande problema.

Não há uma explicação exata para doença e nem para as causas, contudo os especialistas acreditam que seja um conjunto de fatores: Hormonais, ambientais, genéticos e psicológicos que em desequilíbrio provocam a depressão pós-parto.

Como identificá-la?

A depressão pós-parto costuma aparecer um mês após a mãe dar a luz e o reconhecimento nem sempre é tão fácil, familiares e amigos costumam perceber os sintomas antes mesmo que a nova mamãe.

Observe alguns dos sintomas que caracterizam a doença:

  • Tristeza constante, esse sentimento se torna ainda mais presente à noite.
  • Sensação de que nada está ou ficará bom com passar dos dias.
  • Constante sensação de culpa.
  • Sente-se responsável por tudo.
  • Exaustão permanente.
  • Não consegue se divertir.
  • Perda do senso de humor.
  • Sensação de que não consegue se adaptar à nova rotina.
  • Ansiedade e busca constante por explicações profissionais que garantam a saúde do bebê.
  • Preocupação exagerada com sua própria saúde.
  • Perda de foco e concentração.
  • Sensação de estranheza na relação com o bebê.
  • Pensamentos catastróficos em relação a você ao bebê.

É muito importante lembrar que durante a adaptação da chegada de um bebê podem sim ter dias tristes e ruins, o que é completamente normal, mas se esses sentimentos estão presentes na maioria dos dias o ideal é procurar ajuda para entender se há algo errado.

Em alguns casos a depressão pós-parto pode causar atitudes violentas, se achar que pode estar sofrendo com esse transtorno, procure um médico o mais breve possível.

Como superar a depressão pós-parto?

A depressão pós-parto pode sim ser superada e com a ajuda adequada essa condição tende a melhorar rapidamente, observe de maneira prática o que pode ser feito para ajudar nesse momento tão sensível.

  • Terapia: Conversar com alguém que sabe como lidar com os sintomas é de grande ajuda e na maioria das vezes já resolve a situação como um todo.
  • Medicamentos: Essa é só uma medida emergêncial e deve ser estudada pelo médico antes de ser acatada, uma vez que medicamentos trazem efeitos colaterais e não tratam a causa do problema.
  • Alimente-se bem: Você precisa de energia, então para manter os níveis de açúcar equilibrado alimente-se de maneira saudável, mesmo sem muita fome.
  • Relaxe e descanse: Você não responsável por tudo o tempo todo, procure descansar e relaxar o máximo possível, lembre-se é uma adaptação, não se cobre tanto.
  • Cuide-se: Exercite-se, uma atividade física irá fazer você se sentir bem consigo mesma, se oferecerem ajuda, aceite e tire um momento para cuidar apenas de você

Abra seu coração, encontre outras mães, compartilhe experiências, fale sobre o assunto e sobre outros assuntos também!

O importante é entender que nada precisa ser perfeito e que aos poucos as coisas vão se encaixando e você vai se redescobrir uma nova e melhorada mulher e mãe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
%d blogueiros gostam disto: