O que são os hormônios femininos e masculinos?

Hormônios são substâncias do corpo responsáveis pela ação sistêmica que são obtidas por células especializadas, onde são lançadas na circulação sanguínea e tem vão produzir efeitos em determinado órgão do corpo.

Os hormônios são produzidos pelo próprio corpo em tecidos ou glândulas, e são derivados de lipídios, proteínas, glicídios e outros.  Eles são responsáveis por regular o desenvolvimento, crescimento, funções do sistema reprodutor, funções de vários tecidos, mas se mantém por mais tempo que os impulsos nervosos.

Os hormônios também são responsáveis pela reprodução humana, confira quais são os efeitos deles no corpo humano. Confira:

Mulheres

São dois os principais hormônios sexuais femininos, a progesterona e o estrógeno. O estrógeno é obtido através dos folículos do ovário, ou seja, pelos óvulos ainda em formação. Ele é responsável pelas características sexuais secundárias e também pelo controle do ciclo menstrual.

Já a progesterona é produzida pelo corpo lúteo, que é uma estrutura produzida a partir do folículo, e junto com o estrógeno atua em diversas fases do ciclo menstrual.

As mulheres também têm outros dois hormônios produzidos pela hipófise, onde juntamente com o estrógeno e a progesterona atuam trabalham em regular os processos reprodutivos: o hormônio luteinizante, conhecido como LH, e o hormônio folículo estimulante chamado de FSH.

No início do ciclo menstrual, o hormônio folículo estimulante, como o próprio nome diz, irá estimular o desenvolvimento de folículos do ovário. Assim, os folículos produzem o estrógeno que tem como trabalho estimular o crescimento das células da parte interna do útero, o endométrio, tornando-se assim mais espesso e vascularizado.

Essas mudanças acontecem para preparar o útero caso haja a implantação de um embrião, ou seja, uma gravidez.

Mas, quando há a alta concentração de estrógeno na circulação sanguínea feminina, ela inibe a produção de FSH pela hipófise, processo esse conhecido como feedback negativo. Com essa queda nos níveis de FSH os folículos ficam desestimulados, provocando então uma redução na produção de estrógeno.

Nesta fase, a hipófise passa a liberar o LH para induzir o rompimento do folículo ovariano e desenvolver o corpo lúteo. O corpo lúteo produz a progesterona, hormônio esse que irá ajudar na manutenção do endométrio até o fim do ciclo menstrual. Mas a alta concentração de progesterona na circulação sanguínea, inibe a produção de LH pela hipófise, também por feedback negativo.

Portanto, com a queda dos níveis de estrógeno e progesterona as células do endométrio se desprendem da parede uterina, onde são eliminadas do corpo pelo canal vaginal, causando o sangramento da menstruação.

Homens

Os hormônios masculinos têm a responsabilidade de manter e orientar o bom funcionamento do organismo do homem. Eles afetam a disposição, sentido, ganho de massa muscular, metabolismo e principalmente o desejo sexual.

O principal hormônio masculino é a testosterona, e todos os outros basicamente trabalham em função dela. Esse hormônio é produzido por células especializadas no interior do testículo, denominada de células de Leydig. Com a presença da testosterona no embrião, é determinado que aconteça o desenvolvimento dos órgãos sexuais masculinos.

Na adolescência masculina, que as mudanças começam devido as gonodotrofinas, que são dois hormônios que agem no testículo e dividem-se em hormônio folículo estimulante o FSH, e o hormônio luteinizante conhecido como LH. Esses dois hormônios estimulam o funcionamento dos testículos e são produzidos pela glândula adenoipófise.

Assim quando o garoto se torna adolescente, começa a produzir o hormônio estimulador das células intersticiais, o ICSH. Esse hormônio é responsável por reforçar o esperma, e também faz com que pelos, barba, pênis, músculos e a voz se desenvolvam.

Mas é a testosterona que fica responsável pelos órgãos genitais masculinos, pelo desenvolvimento dos testículos e o impulso sexual. É no período embrionário que a testosterona começa a ser produzida, pois é a presença desse hormônio no embrião que determina o órgão sexual masculino, e a sua ausência o órgão sexual feminino.

A testosterona é responsável pelo comportamento do homem, regula o libido e desejo sexual. Seu auge de produção é entre os 17 e 30 anos de idade, e começa a cair 1% ao ano a partir dessa idade. Quando o homem entra nessa fase, pode acontecer dele perder massa muscular, massa óssea e o impulso por sexo.

 

Disfunção Hormonal

A disfunção hormonal é a falta de produção de hormônios no corpo, e pode causar queda de cabelos e pelos do corpo, estresse, ansiedade e humor inconstante.

Nas mulheres, a menopausa é um processo de disfunção hormonal, mas é natural do corpo. Com isso, quando uma mulher entra na menopausa, ela não ovula mais e ovário não produz a quantidade de hormônio suficiente. Como consequência disso, a mulher passa a ter alterações na pele, no humor e também o ressecamento vaginal.

Mas não há só a menopausa como disfunção hormonal nas mulheres, por isso é importante ficar atento aos sintomas que o corpo mostra. Alguns dos sintomas da disfunção hormonal são acnes, alteração na menstruação, atraso no ciclo menstrual, aumento de pelos, falta de ovulação, obesidade e aumento no risco de infertilidade, pois os ciclos ovulatórios passam a não acontecer.

No homem a baixa produção hormonal pode trazer alguns problemas. Quando o testículo passa a não produzir mais hormônio, ou se a hipófise deixa de produzir o hormônio que faz o testículo funcionar adequadamente, resulta em uma redução na produção de testosterona.

As complicações vindas da baixa produção da testosterona dependem em que período da vida isso acontece. Por exemplo, caso seja no feto, ele pode nascer com genitália ambígua; se for na infância ou adolescência pode ter um retardo no desenvolvimento sexual, os pelos não crescem e o pênis e testículos não se desenvolvem; já durante a vida adulta a falta da testosterona pode trazer a dificuldade na ereção, falta de libido e muita queda de pelos.

Portanto, é importante tanto homens quanto mulheres ir ao endocrinologista, para que ele solicite exames que indiquem se os hormônios do seu corpo estão ou não em ordem.

Nas mulheres, para detectar determinadas doenças e saber se há modificações nas estruturas do ovário, é preciso fazer exames de imagem como a ultrassonografia. Este exame é bem preciso, pois consegue ver a circulação sanguínea nos ovários, obtendo mais clareza ao diagnóstico.

Caso o exame tenha diagnosticado algum tipo de disfunção hormonal, o melhor a fazer é manter a calma e sempre seguir o tratamento prescrito pelo médico para conseguir viver normalmente com essa doença.

No caso do homem, o tratamento com reposição hormonal é indicado para o tratamento da andropausa, que é um distúrbio hormonal que aparece em homens com mais de 40 anos, caracterizado pela redução na produção de testosterona.

Com a reposição hormonal, sintomas como perda de massa muscular, irritabilidade, dificuldade de ereção e perda do desejo sexual serão eliminados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
%d blogueiros gostam disto: