Outubro rosa seu significado, como detectar câncer de mama e existe cura?

A cada ano a adesão ao movimento mundialmente conhecido como “Outubro Rosa” vem aumentando. O objetivo desse movimento é chamar a atenção diretamente para a realidade do câncer de mama e como é importante o diagnóstico precoce.

Vale lembrar que é importante focar neste assunto durante os 12 meses do ano, já que esta doença é implacável e não se faz presente só no mês de outubro.

Significado do Outubro Rosa

Este movimento originou-se nos Estados Unidos, onde em um Congresso determinou o mês de Outubro como o mês da prevenção do câncer de mama.

No mês de outubro são feitas várias atividades para fortalecer a necessidade e importância da detecção precoce do câncer de mama. Nesse evento são destacados assuntos como a causa, prevenção, diagnóstico, tratamento e também a cura do câncer de mama.

Uma das características do Outubro Rosa é a iluminação colocada em monumentos importantes com a cor rosa, como forma de apoio à causa. No Brasil, são iluminados monumentos como o Palácio do Planalto, o Cristo Redentos e outros.

O símbolo do Outubro Rosa é um laço ou uma fita rosa, onde começou com a G. Komem Breast Cancer Foundation que em uma corrida de sensibilização do câncer os distribuiu no ano de 1991.

Mas o que é exatamente o câncer de mama?

Todo o câncer é caracterizado pelo crescimento rápido de células que adquirem a capacidade de se multiplicar. Essas células são agressivas e incontroláveis, determinando assim a formação de tumores malignos, o câncer, que pode se espalhar para outras regiões do corpo.

O câncer de mama, afetas as mamas que são glândulas formadas por lobos, que se dividem em estruturas menores, os lóbulos e ductos mamários. Esse é o tumor mais comum nas mulheres e o que mais as leva à óbito segundo o INCA – Instituto Nacional de Câncer.

Portanto, é fundamental que mulheres acima de 40 anos façam uma mamografia pelo mens uma vez ao ano.

Sintomas do câncer de mama

Os sintomas mais comuns do câncer de mama é o aparecimento de um caroço. Quando os nódulos são malignos, ele provavelmente é indolor, irregular e duro, mas também há os tumores que são arredondados e macios.

Outros sintomas do câncer de mama são:

  • Inchaço em uma parte do seio;
  • Irritação ou irregularidades na pele, assemelhando a uma casca de laranja;
  • Dor no mamilo ou inversão dele – para dentro;
  • Vermelhidão ou descamação da pele da mama ou mamilo;
  • Saídas de secreção, que não é leite, pelo mamilo;
  • Aparecimento de caroço nas axilas.

Diagnóstico e cura do câncer de mama

Este câncer é uma doença grave, mas que pode ser sim curada. Quanto mais cedo ele for descoberto, mais fácil é para curá-lo.

Como foi dito, se no momento do diagnóstico o tumor estiver no estágio inicial, menor que 1 centímetro, as chances de cura chegam a 95% segundo a FEMAMA.

Quanto maior o tumor estiver, menores são as probabilidades de se vencer a doença, portanto a detecção precoce é a principal estratégia na luta contra o câncer de mama. Sendo assim, a mamografia realizada pelo menos uma vez ao ano em mulheres acima de 40 anos se torna uma arma poderosa contra a doença.

A mamografia é o único exame capaz de detectar o câncer de mama em sua fase inicial, pois com esse tamanho o nódulo ainda não pode ser sentido através do autoexame.

Exames

As campanhas de conscientização divulgam a ideia para realizar o autoexame das mamas, baseado na palpação para detectar os possíveis nódulos. O autoexame é essencial para que a mulher conheça o seu corpo.

É possível realizar o exame uma vez por mês, depois do final da menstruação. Para as mulheres que estão na menopausa ou por algum motivo não menstruam mais, o ideal é definir uma data e realizá-lo uma vez ao mês, sempre no mesmo dia. Entretanto, ele não substitui a mamografia.

A mamografia é um exame de raio-X, em que a mama é comprimida entre duas placas para melhor visualização. São duas chapas para cada mama, uma de cima para baixo e outra de lado.

Mesmo a compressão sendo um pouco desagradável e dolorosa para algumas mulheres, ela não é perigosa para a mama. A dose utilizada de raios-X dos aparelhos modernos é muito baixa, portanto não existe motivo para não realizar esse exame.

Assim como todo exame médico, a também mamografia está sujeita a deficiências. Acredita-se que aproximadamente 10% dos casos comprovados sendo câncer de mama não foram detectados na mamografia, principalmente quando é em mulheres jovens que têm a mama densa. Portanto, a ultrassonografia pode ajudar no diagnóstico junto com a mamografia, muito útil assim para detectar lesões duvidosas.

Tratamento do câncer de mama

Os tratamentos utilizados no câncer de mama são os clínicos e cirúrgicos. Os cirúrgicos são tratamentos que preservam a mama com as tumorectomias, quadrantectomias e as mastectomias.

A maior parte dos casos de câncer de mama pode chegar até à axila, portanto é preciso fazer a avaliação axilar através do lonfonodo ou disecção axilar. Hoje há uma cirurgia conhecida como oncoplástica, que usam as técnicas de cirurgia plástica para realizar o tratamento do câncer de mama.

No caso do tratamento clínico, ele usa medicamentos quimioterápicos e hormonioterápicos, cada um com seu função e efeito colateral. Quando o câncer está em um estágio avançado, a radioterapia é usada após o tratamento cirúrgico.

O câncer de mama é o tumor que leva muitas mulheres à morte, portanto é necessário fazer a prevenção através do autoexame e principalmente a mamografia, tornando-se essencial a realização desses exames pelo menos uma vez ao ano em mulheres acima de 40 anos!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
%d blogueiros gostam disto: