O estresse e suas consequências

Você está estressado/a.

Atualmente se tornou comum você encontrar pessoas em situação de estresse.

Seja no trabalho, em casa, na faculdade, no trânsito…

Qualquer pessoa ao menos uma vez na vida já ficou com estresse.

Existem diversos fatores causadores desse estado, contudo o estresse não é de todo um vilão.

O estresse e seus primórdios…

Você sabia que há alguns milhares de anos, na época que as pessoas viviam em cavernas, o estresse servia como um sinal de alerta para situações de risco?

Pois é.

Esse aviso preparava as pessoas para agirem de maneira mais rápida a ameaças externas como, por exemplo, o ataque de um inimigo ou animal selvagem.

Mas, hoje em dia não é preciso se proteger desses tipos de ameaças; não é verdade?

A não ser que suja alguma situação inesperada tipo estar em uma selva ou qualquer outro ambiente severo.

Porém, ainda assim você continua a reagir ao estresse mesmo quando não esteja diante do perigo.

Nesse post, você vai encontrar muitas informações extremamente importantes sobre o estresse e suas consequências.

De início, fique sabendo que estresse excessivo não é nada bom para sua saúde e pode afetar diversos sistemas de seu corpo prejudicando-os seriamente.

Confira!

O estresse e o cérebro

É fato que, o estresse é uma reação de defesa natural de seu organismo.

Quando seu cérebro identifica alguma situação de risco ou tensão, ele libera reações químicas e hormônios como o cortisol e adrenalina.

Já quando ele não detecta risco algum, como quando a situação causadora do estresse foi solucionada, então as reações químicas não ocorrem mais e o seu corpo volta ao normal.

O problema está quando as reações desencadeadas pelo estresse não param, vez que podem refletir em seu organismo em forma de doenças:

  • Problemas na coluna.
  • Enfarte.
  • Obesidade.
  • Anorexia.
  • Fibromialgia.
  • Diabetes.
  • Aumento de colesterol.
  • Hipertensão arterial, etc.

A reação de estresse varia de pessoa para pessoa e suas consequências também.

Esse estado não pode ser medido, aferido.

Mas, existem sinais indiretos que mostram quando você pode estar a ponto de “explodir”, como:

  • Cansaço.
  • Insônia.
  • Dificuldade de memorização.
  • Déficit de atenção e outros.

Sua mente e seu corpo trabalham juntos, em harmonia e sintonia. Quando um desses se desequilibra o outro também sobre as consequências.

É comum o indivíduo passar por um processo doloroso como divórcio, demissão, morte de ente querido, hospitalização ou qualquer outro trauma; sofrer alguns sintomas físicos de estresse que se manifestam em seu corpo como um reflexo dele à dor emocional.

Esse fenômeno que acontece quando o sentimento é exteriorizado vem para o seu corpo sem ter causas orgânicas podendo causar:

  • Dor de cabeça.
  • Falta de ar.
  • Desconforto gastrointestinal.
  • Palpitação.
  • Tontura.
  • Gastrite.
  • Cefaleia.
  • Lombalgia.
  • Dor de estômago, etc.

As doenças físicas causadas pelo estresse, também chamadas de psicossomáticas, apesar de terem um fundo emocional; podem de fato caracterizar lesões e danos ao seu organismo.

Mais sintomas de estresse

Fique alerta, pois os primeiros sintomas de estresse são praticamente imperceptíveis.

  • Fadiga.
  • Fraqueza.
  • Dores musculares, de cabeça e no estômago.
  • Ranger dentes, etc.

O sistema imunológico da pessoa que está em estado de estresse tende a cair, sendo assim ela fica mais vulnerável a doenças.

E nessas horas que você precisa prestar atenção, dar uma pausa e respirar.

O estresse e suas consequências

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 90% da população mundial sofre de estresse.

Hoje em dia, esse mal é visto um conjunto de sintomas emocionais e físicos que pode ocasionar outras patologias.

O estresse quando excessivo traz sérias complicações à sua saúde.

Além das consequências mencionadas anteriormente, ele ainda pode causar:

  • Transtornos alimentares – como a anorexia ou compulsão alimentar.
  • Depressão – como o estresse provoca aumento do cortisol (hormônio do estresse) e a redução da dopamina e serotonina (que regulam o sono, a libido, energia e apetite) você não consegue lidar ou gerir com as situações desse estado podendo entrar em depressão.
  • Problemas cardiovasculares – as veias e artérias se comprimem ocasionado menor circulação de fluxo de sangue e batimentos cardíacos irregulares já que o coração vai bater mais rápido e as artérias ficarão mais endurecidas, resultando em AVC, coágulos e até ataque cardíaco.
  • Síndrome do cólon irritável – essa é uma das consequências do estresse que provoca contrações anormais no seu intestino deixando-o mais sensível a estímulos podendo causar diarreia, flatulência e por vezes acompanhado de dor e distensão abdominal.

Na Austrália, um grupo de pesquisadores da Universidade de Melbourne descobriu que os hormônios do estresse espalham câncer pelo sistema linfático.

Os autores do estudo utilizaram um microscópico especial durante a pesquisa e comprovaram que os hormônios do estresse são capazes de aumentar o fluxo de nanopartículas fluorescentes, que localizam células tumorais, através do sistema linfático.

Mesmo que esse estudo não tenha sido aplicado em humanos, vez que foram utilizados ratos nos experimentos, ele é um enorme passo para compreender como o estresse entra no corpo e afeta a forma como o tumor (câncer) progride.

Como combater o estresse

Uma ótima maneira de combater o início do estresse é você desligar um pouco sua mente daquilo que está fazendo e aprender a se preocupar somente com o necessário.

  • Estabeleça prioridades em sua vida.
  • Resolva o que puder ser resolvido naquele momento e o que não deu, deixe para depois.
  • Faça uma coisa de cada vez.
  • Busque equilíbrio em tudo todos os dias de sua vida.
  • Divida tempo para você, sua família, amigos, lado espiritual, lazer, etc.
  • Faça o que você gosta.
  • Tenha uma boa alimentação e respeite suas horas de sono.
  • Pratique atividades físicas de acordo com sua capacidade.

Todas essas ações vão lhe ajudar a melhorar sua saúde e sua qualidade de vida.

Lembre-se que é superimportante buscar ajuda médica para avaliação do problema. O profissional da saúde é quem irá lhe solicitar exames laboratoriais e clínicos para descartar ou detectar a existência de algum tipo de doença e lhe indicar o tratamento e acompanhamento adequado.

Portanto, agora que você sabe mais sobre o estresse e suas consequências busque meios de combater os possíveis sintomas que porventura venham a surgir em seu corpo.

É certo que levando em consideração a rotina diária, responsabilidades e tudo mais que você passa, isso não é tão simples.

Mas, se você se disciplinar e se comprometer a obter um determinado equilíbrio em sua vida aos poucos conseguirá reduzir os impactos do estresse na sua saúde.

Gostou? Comente!

Um forte abraço.

Viva melhor e mais feliz!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
%d blogueiros gostam disto: