6 cuidados que o transplantado renal deve ter ao longo da vida

Atualmente, é bastante comum a sobrevida de pacientes que passam por transplantes renais. Isso porque tem se levado muito a sério os cuidados com o transplantado, principalmente após o procedimento, garantindo assim maior sucesso da cirurgia e menos transtornos pós-operatórios.

O transplante renal é a principal opção de tratamento para pacientes que sofrem de doença renal crônica avançada. O transplante renal é realizado da seguinte maneira: um rim sadio, doado por uma pessoa viva ou já falecida, é implantando no paciente que sofre de insuficiência renal crônica avançada, através de uma cirurgia, de maneira que o novo rim passa a cumprir as funções de filtração e também eliminação de líquidos e toxinas.

Desse modo, é importante que o paciente transplantado tenha extremos cuidados e consciência de que o rim recebido pode não durar para sempre, o que irá influenciar é o uso correto dos imunossupressores (remédios usados para diminuir a rejeição do rim recebido).

Listamos alguns cuidados que devem ser tomados pelo paciente transplantado ao longo da vida e que o ajudarão a ter uma qualidade de vida melhor.

X cuidados que transplantado renal deve ter ao longo da vida

  1. Atente-se à rejeição do rim

Os pacientes que recebem o rim por meio de transplante começam a produzir anticorpos contra o rim transplantado, podendo gerar uma rejeição do mesmo. Essa rejeição pode levar a um processo de deterioração da função renal, prejudicando todo o transplante.

Por isso, é importante ir às consultas regularmente, principalmente no primeiro ano do transplante, que é o mais importante. São as consultas regulares que permitem detectar de maneira precoce a rejeição e, em alguns casos, iniciar o tratamento adequado.

  1. Cuidado com as infecções

Após a realização do transplante, são frequentes as aparições de infecções, podendo ser bem graves.

O recomendado é que se evite o contato com doenças infectocontagiosas (sarampo, tuberculose, varicela etc.). Caso o paciente transplantado apresente febre, deve ser encaminhado imediatamente a um médico.

  1. Controle a alimentação e o peso

É comum que os pacientes, logo após o transplante renal, tenham seu apetite ampliado, levando muitas vezes ao aumento excessivo de peso e até a obesidade.  As restrições alimentares, que são comuns no período de realização da diálise, nem sempre são necessárias.

É importante considerar que, enfrentando ou não a diálise, o paciente deve ter uma alimentação controlada, atentando-se sempre ao peso.

Uma boa opção é a prática de exercício físico regularmente, para controlar o peso e ainda prevenir doenças cardiovasculares. Procure fazer pelo menos meia hora de exercícios por dia.

  1. Medicação

Uma maneira eficaz de prevenir a rejeição do rim transplantado é tomando os medicamentos conhecidos como imunossupressores.

É importante que o paciente sempre respeite os horários da medicação prescrita. Pode ser que ocorram vômitos; nesse caso, consulte um médico.

  1. Cuidado com a pressão arterial

Outro cuidado importante que os pacientes transplantados devem ter é com a temperatura e a pressão arterial, pois podem ser um aceno para infecção ou uma possível rejeição.

Caso o paciente apresente febre recorrente e alteração na pressão arterial, contate um médico.

  1. Atente-se à urina

Após o transplante, o paciente pode produzir uma quantidade de urina que depende diretamente da quantidade de liquido que ele ingeriu. É importante, portanto, verificar se há alteração na cor da mesma ou se a quantidade diminuiu. Também vale atentar-se para o aumento de peso e o aparecimento de algum tipo de inchaço no corpo. Caso seja detectado algum desses inconvenientes, o paciente deve procurar um médico imediatamente.

Não são todos os pacientes que podem receber um rim, como pessoas que tiveram câncer e não se curaram ou se curaram há pouco tempo, pacientes que enfrentam doença grave em outros órgãos. É importante ser feita uma análise individual de cada paciente.

O importante mesmo é que o paciente siga todos os cuidados necessários após o transplante, para que não haja complicações mais sérias e para garantir maior qualidade de vida para os pacientes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
%d blogueiros gostam disto: